Precificação de produtos

A plataforma Vindi suporta 4 configurações diferentes de cálculo para precificar produtos:

  • Preço fixo
  • Preço fixo com quantidade
  • Faixa variável por volume
  • Faixa fixa por volume

Neste artigo você poderá aprender qual é a configuração mais adequada para seu negócio.

Preço fixo

É a configuração mais simples. O preço final do produto será calculado de acordo com o preço base informado.

Exemplo:

Nome:             Mensalidade Premium
Tipo de cálculo:  Preço fixo
Preço base:       R$ 150,00
Preço final: R$ 150,00

Este tipo de cálculo pode ser usado para cobrar uma mensalidade fixa ou qualquer outra taxa que não dependa de quantidade.

Preço fixo com quantidade

Semelhante ao exemplo acima, este método multiplica o preço base pela quantidade informada no momento da criação da assinatura.

Nome:            Garrafa de vinho
Tipo de cálculo: Preço fixo com quantidade Preço base: R$ 10,00 Quantidade: 5 garrafas Preço final: R$ 10,00 x 5 = R$ 50,00

É importante notar que a quantidade, informada na criação da assinatura, será carregada durante todos os períodos da mesma.

Imagine uma loja de assinatura de vinhos onde o cliente pode escolher quantas garrafas quer receber por mês. Essa quantidade informada no momento da assinatura será usada para calcular o preço todos os meses. Outros exemplos:

  • Quantidade de mercadorias;
  • Número de usuários contratados em uma plataforma SaaS.

Você pode usar este tipo de cálculo em planos pré-pagos ou pós-pagos.

Faixa variável por volume

Alguns modelos de negócio se baseiam na cobrança conforme o volume da utilização do serviço. Por exemplo, uma operadora de telefonia computa todos os seus minutos utilizados ao longo do mês para gerar uma fatura. Diferente dos tipos de cálculo anteriores, este método não carrega a quantidade utilizada entre períodos diferentes e você será obrigado a informar a utilização pelo menos uma vez por período.

Este método de cobrança também é conhecido como Metered ou Usage-based billing.

Além da informação do preço base, este método requer a configuração de uma ou mais faixas de precificação.

Exemplo:

Nome:                       Horas de suporte técnico
Tipo de cálculo:            Faixa variável por volume
Preço base:                 R$  0,00
Faixa 1: 0 - 10 horas: R$ 20,00 por hora Faixa 2: acima de 11 horas: R$ 19,00 por hora
Registros de utilização: 12 horas Preço final: R$ 19,00 x 12 = R$ 228,00

No exemplo acima, a "Faixa 2" foi automaticamente selecionada pelo sistema baseando-se no total de registros de utilização informados no período.

Planilhando todas as possibilidades de quantidade, podemos gerar um gráfico com a previsão da precificação:

Também há a opção de incluir um valor excedente por faixa. Se este campo for preenchido, a plataforma irá buscar a combinação mais vantajosa para o cliente. A configuração do valor excedente suporta até 4 casas decimais, porém tenha em mente que o valor na fatura será truncado na segunda casa decimal.

Se não quiser utilizar valor excedente no cálculo, mantenha o campo vazio. Caso você preencha com zero, a plataforma irá entender que qualquer excedente será gratuito.

Abaixo segue um exemplo válido de configuração de faixas na plataforma:

As faixas de precificação devem seguir algumas regras ao serem criadas:

  • Inclua obrigatoriamente ao menos uma faixa;
  • A primeira faixa deve iniciar em zero;
  • Todas as faixas devem começar exatamente após o término da anterior;
  • A última faixa deve terminar de forma indefinida (em branco) ou então conter a configuração de valor excedente. Não é possível definir excedente para uma faixa com término indefinido;
  • Utilize no máximo 25 faixas.

Após criar uma assinatura com um produto configurado desta forma, você deverá informar os registros de utilização em cada período. Esta informação pode ser alimentada manualmente através do painel de administração da plataforma ou automaticamente via API.

Se o preço base for maior que zero, ele será adicionado no total do cálculo. Use este parâmetro se desejar definir um preço mínimo para seu produto.

Este tipo de cálculo faz sentido apenas para planos pós-pagos.

Faixa fixa por volume

Há casos onde você deseja fazer uma cobrança fixa baseando-se no volume de utilização. Praticamente todos os atributos e requisitos deste tipo de cálculo permanecem iguais ao método anterior (faixa fixa por volume). A única diferença é que o preço informado por faixa deve representar o valor total a ser cobrado, e não apenas o valor por unidade.

Exemplo:

Tipo de cálculo:            Faixa fixa por volume
Preço base:                 R$   0,00
Faixa 1: 0 - 50: R$ 100,00 Faixa 2: 51 - 100: R$ 150,00 Faixa 3: 101 - 150: R$ 200,00, excedente R$ 1,50
Registros de utilização: 75 Preço final: R$ 150,00

No exemplo acima a faixa 2 foi selecionada pois a quantidade informada está dentro do seu valor. Observe que a faixa 3 possui o valor de excedente configurado. Ele é obrigatório caso a última faixa tenha término explicitamente definido.

Ainda aproveitando as faixas último exemplo, podemos estimar o preço para uma série de quantidades:

Quantidade Preço final
5 R$ 100,00
49 R$ 100,00
150 R$ 200,00
152 R$ 203,00

Observe que a quantidade 152 não faz parte de nenhuma faixa, porém seu preço é calculado somando o valor da última faixa o valor excedente por unidade (R$ 200 + (R$ 1,50 x 2)).

É possível informar um valor excedente em faixas intermediárias. Se isso acontecer, a plataforma irá buscar a combinação mais vantajosa para o cliente.

Por fim, podemos exibir um gráfico, que neste caso será semelhante à uma escada, incluindo uma inclinação linear no final, representando o valor excedente:

Perceba que a seleção da faixa é realizada conforme a utilização informada. Este comportamento é análogo à uma operação automática de upgrade/downgrade.

Ainda restou alguma dúvida? Aproveite e faça uma pergunta abaixo.

Tem mais dúvidas? Envie uma solicitação

Comentários

Powered by Zendesk